WhatsApp 67 99257-1994
Pré-cadastro
WhatsApp 67 99178-7322
Orçamento
67 3025-8100
Outras Informações

Artigos

Saúde, bem estar, alimentação saudável e medicina.

Ansiedade: quando uma reação do corpo pode se transformar em transtorno

Falta de ar, coração acelerado, dificuldade para dormir e compulsão por comida. Esses são alguns dos sintomas mais comuns da ansiedade, uma reação natural do corpo a momentos cotidianos que geram maior tensão, como uma prova da faculdade, uma apresentação importante no trabalho ou a iminência de um diagnóstico médico. No entanto, se essas respostas do organismo vierem com uma frequência grande e em situações que, normalmente, não deveriam despertar apreensão, é necessário ligar o sinal de alerta. A ansiedade, que é normal a todos os seres humanos, pode se transformar em um transtorno psicológico. A Organização Mundial da Saúde divulgou neste ano um estudo que aponta o Brasil como o país mais ansioso do ranking: no mundo a média da população atingida por quadros de ansiedade é de 3,6%, no país esse número sobe para 9,3%. Os dados mostraram que 18,6 milhões de brasileiros estão com algum transtorno de ansiedade.

Os motivos que podem levar a um quadro de transtorno de ansiedade são vários, desde uma causa biológica, provocada por algum desequilíbrio químico do cérebro ou hormonal, até fatores sociais como o cotidiano em cidade grande ou situação econômica do país. A vida moderna também contribui para o aumento da sensação de angústia, já que, atualmente, é necessário lidar com grande volume de informações, mudanças rápidas das tecnologias e demanda cada vez maior por produtividade. Abuso de café, álcool e nicotina, além de traumas, também são causas recorrentes.

Diante dessa extensa lista de possíveis gatilhos que podem desencadear a doença, fica clara a importância de procurar o diagnóstico correto. É uma doença que se manifesta a partir da dificuldade de lidar com situações a que todos são frequentemente expostos. Até por isso, muitos resistem a procurar por ajuda médica, pois há uma impressão de que se trata de um mal-estar corriqueiro.

Os sintomas do transtorno de ansiedade também são diversos e a doença pode se apresentar de diferentes maneiras como ansiedade generalizada, em que a angústia e a preocupação ficam intensas, além de fobias e transtornos obsessivos compulsivos (TOC). No geral, as pessoas ansiosas sentem mais a pressão de prazos, expectativas e vivem pensando no futuro e essa combinação provoca uma paralisação e dificuldade para concluir as tarefas do dia a dia.

Tratamento dos transtornos de ansiedade

As abordagens dos transtornos de ansiedade são complexas: são vários os fatores que podem desencadear a patologia, o transtorno se manifesta de diversas maneiras e também há uma variedade de tratamentos. Por tudo isso, é muito importante ter o acompanhamento de um especialista, psiquiatra ou psicólogo, que poderá identificar se o tipo de transtorno deve ser tratado com uso de medicamentos como ansiolíticos e antidepressivos. Também faz parte do acompanhamento médico sessões de terapia. O estilo de vida saudável é outro aliado, fazer atividades físicas regularmente e manter uma alimentação equilibrada ajuda a manter a saúde mental. E há também abordagens alternativas como a meditação, porque prestar atenção na respiração é essencial para diminuir os sintomas mais comuns da ansiedade. Uma dica ao se concentrar na respiração é ter um cuidado maior na hora de expirar, em momentos de estresse a tendência é puxar muito ar e esquecer de soltá-lo. Outra orientação é manter o foco na atividade que está sendo feita no presente, de forma consciente, evitando assim a distração com preocupações sobre o futuro.

A ansiedade é comum a todas as pessoas, principalmente em momentos de estresse, mas, se os sintomas persistirem por longos períodos ou em situações que deveriam ser encaradas com tranquilidade, é melhor ficar atento. O importante é ter com a saúde mental o mesmo cuidado que temos com a saúde física. Como não é possível fazer exames de rotina com a mente, o jeito é prestar atenção em si mesmo. Na dúvida, não deixe de conversar com um especialista. No final das contas, o que importa é estar bem consigo mesmo.

Deixe um Comentário